terça-feira, 30 de março de 2010

Música:

De leve, sobe. E, se pesa,
finca pé no que se sente
Se em profundo sonho, acorde:
o som se versa e parte do ventre

Se menor a dor se mostra,
maior é o valor do estribilho
O bom filho à casa torna
pra em paz repousar.

Por que será que o som tem cor?

Na tentativa de esculpir o ar,
mirar o chão com a intenção de errar.

Voa quem pode e não deve;
o tempo impulsiona o verbo.
Quem não teme a queda consegue
sentir o calor do sol mais perto

Pra levantar voo, um detalhe:
Palavra pesa o pé do covarde
O dom de subir vem da mente
de quem se arriscar,

E o som vai curar de vez a dor.

Na tentativa de esculpir o ar,
mirar o chão com a intenção de errar.

-----------

Letrinha nova e tal. Já tá musicada.

2 comentários:

Bárbara disse...

aii eu preciso ouvirrr! deixa??? beijosss

Guto Lobato disse...

Ah, Ophiucus Maleficarum Demoniacus 666... o orgulho da Amazônia!